quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Eldhrimnir: magia em forma de música isabelense

Muitas vezes nós não sabemos como ou o porquê de alguma coisa mágica mexer conosco. E o som de uma música é uma delas. Por isso eu aproveito aqui e falo sobre essa banda, relativamente recente, que usa elementos de algo que amo em músicas: a fantasia
O nome Eldhrimnir vêm da mitologia nórdica, que seria um caldeirão mágico, no qual o cozinheiro dos deuses, Andhrimnir, cozinhava a Sæhrímnir, uma criatura em que todos os dias os Aesires(denominação dos deuses do panteão germânico) e os Einherjar(os valorosos mortos em batalha)  comiam, em Valhalla.
A maioria das canções são autorais, escritas e arranjadas por Luan Unelmoija. Algumas mais antigas como Terra De Naul, Barril de Rum e Caverna do Vale Sem Fim foram escritas com um amigo, James Machado.
Já tocaram no Orgulho Pagão em 2015 e no evento Balada Folker - uma noite na taberna. Irão tocar em alguns eventos e feiras medievais esse ano, tais como o Carnafolk ao lado de bandas consagradas nesse cenário, como Beoir e umas das pioneiras do folk metal nacional Lothlöryen. Além desses teremos o privilégio de abrir o show do Taberna Folk em Osasco, e estarão presentes também no 3 Encontro Folk de São Paulo. Alguns eventos estão pendentes ainda, que no caso seriam a Feira entre mundos e Asgard Fest. Temos planos de tocar em eventos como St. Patrick's Day, celebração irlandesa que vem crescendo muito no Brasil, em casamentos com temática medieval, celebrações pagãs, em tabernas, pubs e etc...
Tem como influência em seu som toda a vertente do folk metal, citando algumas como: Tuatha De Danann(banda com a qual cresceram ouvindo), Mr. Hurley & Die Pulveraffen, Omnia, Flogging Molly, Alestorm, Korpiklaani, entre outras.
A banda é Composta por Luan Unelmoija (vocal, banjo e flautas), Dênnys Silva (percussão), Felipe César (multi-instrumentista) e Michele Noggerini (teclados)
A intenção deles com esse tipo de som sempre foi trazer um estilo de arte diferenciada para a cidade de Santa Isabel (embora raramente conseguirmos tocar por aqui) com o intuito de passar a cultura e os ensinamentos dos povos antigos europeus através da música.
Estão tocando faz cerca de 8 meses e já fizeram bastante sucesso em eventos. Isso é poder da vontade desse grupo.

Como no caldeirão de uma Bruxa onde são somados elementos para completar a poção que é preparada, assim também são acrescentadas várias informações de várias tradições para criar um modo mágico e eclético de trabalhar. Nossas músicas mesclam toda a vertente do folk metal, paganismo, pirataria, bebedeiras em tavernas entre outras, trabalhada de forma acústica, fazemos letras também em devoção a "natureza", tendo em vista ela como a "Deusa".

Eu agradeço o James Machado que me fez entrar em contato com Luan, assim como este por responder as perguntas. Além disso dedico esse texto a Camille Souza Caruso, a quem sempre me fez querer ser alguém fantástico.

2 comentários:

  1. Banda muito foda! Potencial incrível!
    Espero um dia ver eles aqui em Recife \o/

    ResponderExcluir