quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Dança cigana: origem e estilos


Compreender sobre a origem da dança cigana é um pouco complicado. Afinal, sua origem tem como fonte um grupo nômade. Só temos maior certeza que os ciganos teriam surgido no Oriente, passando pelo Egito e Índia. Isso pode ser sentido em seus movimentos dentro da dança. E faz parte até da cultura e tradição cigana. Mas com certeza, uma das maiores influências - e mais conhecida - na questão musical desse estilo é tradição espanhola. Em especial, pelo flamenco, tradicional dança da Espanha. Porém, existem variações do estilo.
Esta palavra "flamenco" designava ciganos, pessoas sem posse de terra, derivado do árabe das palavras "fellahu" e "mengu", que significava "o camponês errante". A sociedade espanhola associava a esta palavra aos ciganos, ou o estilo de vida cigana. Tal estilo incluía a arte da música flamenca, a dança e a tourada.
Os ciganos acreditavam (e alguns ainda acreditam) que espíritos e entidades os acompanham no dia a dia. Um artista tem que esperar que um ente se aposse dele e inspire-o para que seja capaz de fazer a arte verdadeira. Este sentimento profundo criou o "canto jondo" na Andaluzia, um canto de tristeza profunda, que se contrasta com o "canto flamenco".
O estilo de dança flamenca, com seus movimentos
característicos de braços e de tronco, tem uma certa similaridade com a dança clássica persa. Na dança flamenca e persa, os movimentos são centrados na região do tórax e é usado o máximo de espaço acima da cabeça para executar os graciosos movimentos de braços e mão. 
No Brasil por exemplo, existem grupos ciganos que seguem padrões da dança e música cigana húngara, com seus violinos bem trabalhados. Ainda no Brasil, o estilo mais comum de som é o kaldarash. Nele, podemos acompanhar tudo com a batida de mãos e pés em ritmo.
Dentro da tradição cigana, não existem pessoas que façam essa dança de forma profissional. Ou seja, que recebem por isso. Mas fora dela sim. Além daqueles com parte do sangue cigano tentando trazer suas tradições aos dias de hoje.
Temos diversos estilos de dança cigana, algumas inspiradas em determinados elementos ou mais de um até. Entre eles:

  • Dança do leque: usando o leque que se abre como uma forma de atrair o espectador com seu mistério e sedução.
  • Dança da rosa: a rosa normalmente, na dança, é oferecida a mulher nesse estilo. Sendo que o simbolo de união entre os ciganos é representada pela flor.
  • Dança das fitas coloridas: representando as lágrimas do povo cigano (de forma positiva). Isso pode ser notado com a alegria preenchida com esse estilo. 
  • Dança do véu: representa a sensualidade e a leveza do corpo.
  • Dança das tochas: com uso das tochas, o dançarino representa a purificação e a limpeza pelo fogo. Também pode ser usado um candelabro também.
  • Dança do pandeiro: como todo instrumento que faz barulho em certas tradições, ele tem como função expulsar os maus espíritos ou energias negativas, abrindo caminho para o povo festejar. O uso das fitas nele, pode ter nascido como um calendário para marcar eventos importantes e a idade; para saudar a chegada da primavera; para representar através das cores das fitas pedidos ou bênçãos. Normalmente é acompanhada de violinos e outras percussões.
  • Dança dos sete véus: na tradição cigana é a representação do que seria uma despedida de solteiro. Os véus coloridos representam as sete cores do arco-íris, simbolizando o amor e a sensualidade.
  • Dança do punhal: simboliza disputas e lutas, significam a limpeza do corpo através do esforço.
  • Dança dos quatro elementos: normalmente representa elementos com objetos (como vela, incenso, jarro com água e sal). Simbolizando magia, normalmente conta com quatro dançarinas.
  • Dança da espada: se usa movimentos parecidos com os do punhal.
  • Dança do echarpe ou lenço: o lenço é utilizado normalmente como sinal de virgindade. É considerado o mais belo estilo, além de representar união, casamento e amor. Também podem ser utilizados lenços decorados com moedas douradas ou fitilhos, dando um ar de prosperidade aos movimentos executados.
  • Dança do xale: nunca deixe outra pessoa pegar o xale, não derrubar, pois ele é a essência feminina. Enfim, dançar com o xale é agradecer, exibir e proteger as estrelas protetoras.

2 comentários:

  1. QUE LINDA HOMENAGEM AO MEU POVO GITANO OBRIGADA AO MEU GRANDE AMIGO Luis Eduardo Caraça...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada Bruna! A gente se esforça com o que tem aqui para falar sobre a cultura da nossa cidade e do nosso povo (ou seja, de vocês).

      Excluir