terça-feira, 5 de julho de 2016

Igreja do Rosário



Muitos dos dados obtidos aqui foram graças a um dos dias em que fui a Câmara Municipal de Santa Isabel. Então, tenho que dar o crédito devido.
Quem passa de frente a Igreja do Rosário nem imagina do que estou falando aqui.
Segundo o Livro Tombo da Paróquia é a igreja mais antiga do Alto Tietê. Inaugurada em 1723 servindo de Matriz, até ser transferida para a Igreja Matriz como a conhecemos. A sua construção feita pelas mãos de escravos era originalmente feita de taipa (técnica de construção antiga onde se usa barro e cascalho para a estrutura). O altar, tem dois púlpitos que abrigam a imagem de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito. Na área esquerda existe uma imagem de Nosso Senhor dos Passos. 
Além dos registros escritos que existiam, provando a construção como obras de escravos, outros indícios mostram isso. Um desses fatos é que os santos padroeiros da igreja, seriam adotados pelos negros como protetores. Sem contar a grade que existia antes, separando os negros do brancos, vestígio do período colonial escravista.
A igreja ainda tem dois balcões laterais, onde a aristocracia da época assistia a missa. Na reforma de 2004, buscou-se restaurar as cores mais próximas de seus tons originais.
Muitos dos dados obtidos aqui foram graças a um dos dias em que fui a Câmara Municipal de Santa Isabel. Então, tenho que dar o crédito devido.Uma curiosidade sobre a igreja: a pedra fundamental da igreja permanece lá. Como assim? Já explicarei. Essa peça é colocada como primeira peça de uma construção ou edifício, muitas vezes funcionando como uma cápsula do tempo. Após conversar com algumas pessoas da igreja e da área cultural (já que não possuímos um registro público desde a queima dos documentos da cidade), descobri que ela permanece no local. Quando ocorreu a reforma, a única coisa que não mexeram foi o piso, onde esse item segundo informações está.

Nenhum comentário:

Postar um comentário