quinta-feira, 6 de julho de 2017

O significado por de trás dos nomes e das construções


Existem nomes dentro da cidade que nem imaginamos. Pode ser o de uma rua ou avenida. Mas os mais importantes, normalmente, são de construções. E que possuíam, ou possuem, alguma importância histórica, religiosa ou política. Aqui coloco alguns desses lugares.
Confiram:
  • Fábrica de Juta: A antiga fábrica de juta ficava no meio da cidade praticamente. E onde ela se localizava? Se não leu um texto anterior meu talvez não saiba, mas a famosa Galeria, que abriga diversos comércios da cidade, é a localidade do qual trato aqui. Pertencia ao senhor Guilherme Alfieri, proprietário da primeira linha telefônica da cidade.
  • Fórum: Pode não parecer, mas aquela região não era só um prédio relativo ao judiciário. Foi construído em 1960, no governo estadual de Carvalho Pinto. O local era, anteriormente o mercado municipal.
  • Igreja do Rosário: Construída e inaugurada em 1723 (aproximadamente), já foi a igreja Matriz de Santa Isabel. Foi feita pelas mãos de escravos, antes mesmo do surgimento da cidade de Santa Isabel.
  • Avenida Ferraz de Campos Salles: Essa área da cidade foi denominada em homenagem ao primeiro vereador negro da cidade, que nasceu depois da Lei do Ventre Livre. O rapaz foi adotado por uma família de italianos.
  • Praça da Bandeira: O local era chamado inicialmente como Praça do Rosário, em homenagem a Igreja de Nossa Senhora do Rosário. Depois da Proclamação da Independência, levou esse nome por mais um tempo, até ser alterado para Praça da Bandeira.
  • Casa Paroquial: Inicialmente era a antiga sede da família Fernandes Cardoso, foi transformada em uma pousada e doada para a diocese. E a igreja então a transformou na Casa Paroquial que conhecemos até os dias de hoje.
  • Casarão dos 13 de Maio: O lugar, na época atual, é uma pizzaria. Inicialmente o prédio foi construído para a instalação de uma escola municipal. O primeiro professor foi o senhor Benedito Mathias, popularmente conhecido como "Sinhô".
  • Avenida República: Sendo hoje em dia, o "centro urbano" da cidade, era uma área de várzea às margens do Ribeirão Araraquara. Foi inaugurada, oficialmente, em 1900, 32 anos após a Proclamação da República.

Nenhum comentário:

Postar um comentário